Cinema e Literatura

Clube da Luta – Muito mais que um filme sobre caras brigando


Com Brad Pitt, Edward Norton, Helena Bonhan Carter e Jared Leto, Clube da luta é um soco, desferido pela vida que queríamos levar, no estômago da vida a qual levamos.

 

Clube da luta é um filme de 1999 e, por mais velho que já se pareça, consegue ser mais atual, interessante e inquietante do que muitas histórias que vemos hoje nas salas de cinemas, DVDs, ou Blue Rays por aí.

Dirigido por David Fincher, Clube da Luta é baseado no livro de mesmo nome, do escritor norte americano Chuck Palahniuk.

Irei descrever uma sinopse até certo ponto, porém, se dar spoiler das partes verdadeiramente relevantes.

A história é protagonizada por pelo personagem de Edward Norton (Não fica claro o nome do mesmo e, possivelmente, possa ser Jack. Por isso, irei tratá-lo com este nome, no artigo). Um funcionário de uma grande empresa americana, relativamente bem sucedido. Um típico modelo do sistema dentro da sociedade. “Jack” viaja o país profissionalmente, porém, nitidamente, não se sente feliz com sua vida atual.

“Jack” sofre de insônia, mas seu médico o indica a ir a um grupo de apoio a doenças mais graves, ao invés de lhe medicar. Fazendo isto, “Jack” encontra um ambiente em que se sente mais seguro, e sua insônia vai embora. Ele começa a frequentar este e outros grupos de pessoas que enfrentam doenças pesadas, mesmo, ele não as tendo. Aquilo lhe fazia bem e aliviava emocionalmente (Estranho, não?).

Então, ele conhece Marla Singer (Helena Bonham Carter). Uma garota que faz exatamente a mesma coisa que ele. Frequenta os grupos para se “aliviar”. Os dois veem aquilo como um conflito entre si e entram em um acordo para “dividirem” os grupos aos quais deveriam ir (O papel de Marla não termina aí).

"Jack" (Edward Norton) e Marla (Helena Bohan Carter)

“Jack” (Edward Norton) e Marla (Helena Bonhan Carter)

Um dia, na volta de uma viagem, “Jack” conhece Tyler Durden (Brad Pitt), um vendedor de sabão. Os dois conversam no avião e Tyler, entrega-lhe um cartão. “Jack” vai para casa, porém, seu apartamento não existe mais, devido uma explosão, por conta de falha no sistema de gás. Jack liga para Tyler e os dois se encontram em um bar, para uma conversa. Aí, é dita, por Tyler, uma das coisas mais impactantes às quais eu já vi em um filme:

“As coisas que você possui acabam possuindo você”

96897_Papel-de-Parede-Clube-da-Luta-Fight-Club--96897_1600x1200

Olá, Tyler!

Tyler é exatamente o oposto de “Jack”. Faz o que quer da vida e quando quer. Não se preocupa com trabalho, com horários, com nós de gravata e, com o quanto a camisa do trabalho está amarrotada ou não.

Os dois saem do bar e começam a brigar. E “Jack”, agora sem seu apartamento, decide ir morar na casa de Tyler. O habito de ir brigar em frente ao bar começa a aumentar e atrair expectadores e, logo, novos desafiantes. A coisa se expande e é formado o Clube da Luta.

As regras do Clube da Luta

As regras do Clube da Luta

 

Aí você se pergunta: Só isso? Um filme sobre brigões e sobre um cara que perdeu seu apartamento e foi morar com um maluco que não se preocupa com a vida?

Não! Não mesmo! Como eu disse não iria dar spoiler sobre a relevância do filme.

A história trata sobre modelos de sociedade, psicologia, rebeldia, influências, conceito de vida. Pode parecer um pouco pesado, perturbador e, talvez, até forçado em alguns momentos. Mas é uma história imprescindível, muito rica, incrivelmente atual e, por mais que pareça exagerado, de uma profundidade extrema.

 

Clube da Luta é um filme para aqueles que estão pensando em nadar contra a maré. É um filme em que te faz pensar em quem você é e quem você gostaria de ser. Em que mundo você vive e em que mundo você gostaria de viver.

 


Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.